Reformas Monetárias

R - REAL - RÉIS

Originada no período Colonial por influência do monetário português, não se tratava de uma moeda genuinamente brasileira.
Nessa época não era usual uma notação para simbolizar uma moeda. O símbolo "R" foi introduzido por nossa conta para diferenciar das moedas de réis já oficializadas no Brasil.

Rs - MIL-RÉIS - MIL-RÉIS

R 1.000 = Rs 1$000
08.10.1833
Já popularmente adotada como unidade monetária brasileira, o mil-réis foi oficializado em 08.10.1833 através da Lei 59, assinada no 2°. Império, pela Regência Trina durante a menoridade de D.Pedro II. Essa Lei reorganizou, sob vários aspectos, o Sistema Monetário Brasileiro. Mil-réis passou a designar a unidade monetária e réis os valores divisionários.
Na mesma época ficou conhecido o conto de réis, tratando-se do montante equivalente a 1 milhão de réis, ou mil mil-réis.
Rs 1:000$000 = 1 conto de réis = 1000 mil-réis = 1 milhão de réis.
A notação "Rs" era utilizada mais como uma abreviação de réis do que propriamente um símbolo do padrão monetário.

Cr$ - CRUZEIRO - CRUZEIROS

Rs 1$000 (1 mil-réis) = Cr$ 1,00 (BRZ - código ISO4217)
01.11.1942
O Decreto-lei nº 4.791, de 05.10.1942 (D.O.U. de 06.10.42), instituiu o CRUZEIRO como unidade monetária brasileira, com equivalência a um mil-réis. Foi criado o centavo, correspondente à centésima parte do cruzeiro.

Extinção dos centavos
Cr$ 1,00 = Cr$ 1
02.12.1964
A Lei nº 4.511, de 01.12.1964 (D.O.U. de 02.12.64), extinguiu a fração do cruzeiro denominada centavo.

NCr$ - CRUZEIRO NOVO - CRUZEIROS NOVOS

Cr$ 1.000 = NCr$ 1,00 (BRB - código ISO4217)
13.02.1967
O Decreto-lei nº 1, de 13.11.1965 (D.O.U. de 17.11.65), regulamentado pelo Decreto nº 60.190, de 08.02.1967 (D.O.U. de 09.02.67), instituiu o Cruzeiro Novo como unidade monetária transitória, equivalente a um mil cruzeiros antigos, restabelecendo o centavo. O Conselho Monetário Nacional, pela Resolução nº 47, de 08.02.1967, estabeleceu a data de 13.02.67 para início de vigência do novo padrão.

Cr$ - CRUZEIRO - CRUZEIROS

NCr$ 1,00 NCr$ = Cr$ 1,00 (BRB - código ISO4217, o mesmo do cruzeiro novo)
15.05.1970
A Resolução nº 144, de 31.03.1970 (D.O.U. de 06.04.70), do Conselho Monetário Nacional, restabeleceu a denominação CRUZEIRO, a partir de 15.05.1970, mantendo o centavo.

Extinção dos centavos
Cr$ 1,00 = Cr$ 1
16.08.1984
A Lei nº 7.214, de 15.08.1984 (D.O.U. de 16.08.84), extinguiu a fração do Cruzeiro denominada centavo.

Cz$ - CRUZADO - CRUZADOS

Cr$ 1.000 = Cz$ 1,00 (BRC - código ISO4217)
28.02.1986
O Decreto-lei nº 2.283, de 27.02.1986 (D.O.U. de 28.02.86), posteriormente substituído pelo Decreto-lei nº 2.284, de 10.03.1986 (D.O.U. de 11.03.86), instituiu o CRUZADO como nova unidade monetária, equivalente a um mil cruzeiros, restabelecendo o centavo. A mudança de padrão foi disciplinada pela Resolução nº 1.100, de 28.02.1986, do Conselho Monetário Nacional.

NCz$ - CRUZADO NOVO - CRUZADOS NOVOS

Cz$ 1.000,00 = NCz$ 1,00 (BRN - código ISO4217)
16.01.1989
A Medida Provisória nº 32, de 15.01.1989 (D.O.U. de 16.01.89), convertida na Lei nº 7.730, de 31.01.1989 (D.O.U. de 01.02.89), instituiu o CRUZADO NOVO como unidade do sistema monetário, correspondente a um mil cruzados, mantendo o centavo. A Resolução nº 1.565, de 16.01.1989, do Conselho Monetário Nacional, disciplinou a implantação do novo padrão.

Cr$ - CRUZEIRO - CRUZEIROS

NCz$ 1,00 para Cr$ 1,00 (BRE - código ISO4217)
16.03.1990
A Medida Provisória nº 168, de 15.03.1990 (D.O.U. de 16.03.90), convertida na Lei nº 8.024, de 12.04.1990 (D.O.U. de 13.04.90), restabeleceu a denominação CRUZEIRO para a moeda, correspondendo um cruzeiro a um cruzado novo. Ficou mantido o centavo. A mudança de padrão foi regulamentada pela Resolução nº 1.689, de 18.03.1990, do Conselho Monetário Nacional.

Veja mais:

 

CR$ - CRUZEIRO REAL - CRUZEIROS REAIS

Cr$ 1.000,00 = CR$ 1,00 (BRR - código ISO4217)
01.08.1993

A Medida Provisória nº 336, de 28.07.1993 (D.O.U. de 29.07.93), convertida na Lei nº 8.697, de 27.08.1993 (D.O.U. de 28.08.93), instituiu o CRUZEIRO REAL, a partir de 01.08.1993, em substituição ao Cruzeiro, equivalendo um cruzeiro real a um mil cruzeiros, com a manutenção do centavo. A Resolução nº 2.010, de 28.07.1993, do Conselho Monetário Nacional, disciplinou a mudança na unidade do sistema monetário.

Veja mais:

 

R$ - REAL - REAIS

2.750,00 CR$ = R$ 1,00 (BRL - código ISO4217)
01.07.1994

A Medida Provisória nº 542, de 30.06.1994 (D.O.U. de 30.06.94), instituiu o REAL como unidade do sistema monetário, a partir de 01.07.1994, com a equivalência de CR$ 2.750,00 (dois mil, setecentos e cinqüenta cruzeiros reais), igual à paridade entre a URV e o Cruzeiro Real fixada para o dia 30.06.94. Foi mantido o centavo.

Como medida preparatória à implantação do Real, foi criada a URV – Unidade Real de Valor – prevista na Medida Provisória nº 434, publicada no D.O.U. de 28.02.94, reeditada com os números 457 (D.O.U. de 30.03.94) e 482 (D.O.U. de 29.04.94) e convertida na Lei nº 8.880, de 27.05.1994 (D.O.U. de 28.05.94).

fonte: Banco Central do Brasil

 

A dança dos Zeros - Equivalência das moedas

As reformas monetárias se fazem necessárias quando o aumento da inflação é tão grande que corrói o poder de compra da moeda, provocando a desvalorização de seu valor extrínsico (valor facial; a informação de valor gravada na moeda) e, por consequência, valorizando o seu valor instrínsico (custo do material da moeda ser maior que seu valor de troca).

Com as reformas, as moedas vigentes são recolhidas e posta em circulação outras de menor custo de produção.

Se isso não é feito, pode ocorrer a vantagem das moedas valerem mais derretidas (ao custo do metal) do que utilizads como dinheiro pelo seu valor facial.

No entanto, a principal aplicação das reformas é facilitar o manuseio do dinheiro e sua representação gráfica (em preços, cheques, documentos fiscais, calculadora). Quanto mais inflação, mais dinheiro é necessário para realizar as transações comerciais, mais dinheiro para se carregar, mais dígitos nas calculadoras, entre outros inconvenientes.

Os cortes de zeros permitem reduzir o tamanho dos montantes monetários.

padrão símb. reais->réis réis->reais
Real     R$ 0,000000000000000000000363636... 1,00
Cruzeiro Real     CR$ 0,000000000000000001 2.750,00
Cruzeiro     Cr$ 0,000000000000001 2.750.000,00
Cruzado Novo     NCz$ 0,000000000000001 2.750.000,00
Cruzado     Cz$ 0,000000000001 2.750.000.000,00
Cruzeiro     Cr$ 0,000000001 2.750.000.000.000,00
Cruzeiro Novo     NCr$ 0,000000001 2.750.000.000.000,00
Cruzeiro     Cr$ 0,000001 2.750.000.000.000.000,00
Mil-réis     Rs 0$001 2.750.000.000.000:000$000
Real/Réis     R 1 2.750.000.000.000.000.000

A tabela acima é uma conversão livre sem se levar em consideração a inflação.

Se partirmos de uma moeda colonial de 1 real e formos aplicando as reformas monetárias ocorridas até o real atual, o seu valor facial seria equivalente a 0,00000000000000000000036 reais modernos. No entanto, quem por sorte tiver uma moeda dessa, sabe que pode ter uma pequena fortuna em mãos, principalmente por causa de sua raridade.

----------------------------------------------------------------------------------------------------
Moedas Brasileiras / Moedas do Brasil / Moedas Nacionais / MoedasDoBrasil Copyright © 2011-2017 Netfenix
Reportar erros. Clique aqui! 20150719-9

Um completo e interessante compêndio das moedas brasileiras de todas as épocas.

Encontre em nosso catálogo a moeda que você está procurando:
ano/era
valor facial
material

No século 19, usava-se uma escala impressa em papel para medir moedas...

- A Escala de Mionnet
- A História do Cifrão
- Reformas Monetárias
- Cara ou Coroa?


A história da moeda no Brasil contada pelo Banco do Brasil, a história do dinheiro no Brasil contada pelo Banco Central do Brasil e a história das moedas brasileiras contadas por nós.

- Níveis de conservação
- Conservação das moedas
- Coroa Alta e Coroa Baixa
- Graus de Raridade
- Siglas de Gravadores
- Anversos e Reversos
- Ensaios e Provas
- Eixos e Reversos
- Legendas e Inscrições
- Materiais e Metais
- Moedas de Cobre
- Descobrimento do Brasil
- Colonização do Brasil
- D. Pedro II do Brasil
- e ainda mais...